quarta-feira, 23 de abril de 2008

A vingança nunca é plena. Mata a alma e envenena.

Nada melhor do que a sábia frase do Chaves para começar este post.

Mais uma entrevista.

Sabe, às vezes dá vontade de virar andarilha e desencanar desse troço todo de trabalhar.
Mas como isso é utopia, o negócio é colocar as perninhas para funcionar, e procurar o tal emprego.

Entro na sala. Aproximadamente onze pessoas para uma ou duas vagas em uma empresa de grande porte - área de marketing.

Uma prova com aproximadamente 40 questões. Raciocínio Lógico, Português e Matemática.
Claro, no final tinha a redação.

A mulher que aplicou a prova diz que chamará o gerente da área para conversar conosco.

- Olha, o *Juarez é uma pessoa muito bacana. Ele pressiona, mas não fiquem nervosos. Vai fazer algumas perguntas técnicas, mas não é nenhum bicho de sete cabeças.

O cara entra na sala.
Não tinha cara do nome. Um nome de uma pessoa de muitos anos, para alguém de, no máximo, 35 anos.

Olho, olho, olho, e aquele rosto era bem conhecido.
Ele também me olha. Como Juarez dava a maior pinta, tenho certeza absoluta que não era com segundas intenções.

Na hora em que me apresentei, rolou um risinho, quando eu disse que era formada em Rádio e Televisão.
E foi aí que eu matei a dúvida que me assolava. Ele estudou na mesma faculdade que eu.

E como um flash, veio toda a lembrança do ser que me entrevistava.

Ele entrou na faculdade no quarto ou quinto semestre, transferido.
Pediu para entrar no meu grupo de trabalho. Depois de uma reunião, o grupo achou melhor não ter mais nenhum membro, o recusamos.

Depois da seleção, torci para que ele não lembrasse de mim.

As pessoas acharam que eu seria beneficiada por já ter estudado com o gerente. Mal eles sabem.
Bem, saberei da resposta amanhã. Se não passar, mesmo achando que eu fui bem, vou ter a certeza que ele lembrou. E o pior, é rancoroso.

4 comentários:

Camargo disse...

Ôo Vivi
Vc. deveria ter esperado sair o resultado da entrevista antes deste post.
Lembra do telefone...

Boa Sorte
Torço para que consiga seu trabalho.

Anônimo disse...

Concordo com o Camargo aqui em cima.
Mas, afinal de contas, é o Zezé di Camargo, a Hebe Camargo ou o Zeca Camargo?

Camilo disse...

Primeiramente, boa sorte.
Sobre o cara ler este post, sei lá... de repente ele resolve mostrar que não é rancoroso e te contrata :-)
Uma pergunta: e a tua carreira de aeroblogueira?
E em tempo: Talvez seja a Wanessa Camargo... supondo-se ,claro, que seja A Camargo...

Vivi disse...

Gente, Deus me livre!
O mundo bloguístico é pequeno, mas nem tanto.
Sobre o mundo aeroboluístico, Camilo, não deu certo. Depois de 600 testes, disseram que eu não tenho o perfil. Sei-lá, o cabelo não estava duro o suficiente!