sexta-feira, 3 de março de 2017

Carnaval - melhor feriado que não é feriado.

Carnaval é bagunça? É sim, senhor!
Carnaval é a festa da carne? Sim, senhor!
Carnaval segue o lema "ninguém é de ninguém"? Também.
E sim, é meu feriado favorito. Por conta disso tudo mencionado acima? Não.

Primeiro, este negócio que começa com "Em um País em que os pobres (e um textão)...", utilizado no momento do Carnaval, pra mim é hipocrisia. Infelizmente o Brasil é uma zona. Então não me venha com o moralismo do Carnaval.
A zona acontece o ano inteiro. Somos roubados, lesados, surripiados, feitos de trouxa, o ano todinho que Deus deu. Sendo assim, me deixe rir de algumas coisas por 4 dias, ou melhor, 7...depende da inspiração. Então, realmente me irrita falso moralismo no Carnaval. Não gosta? Fica em casa vendo Netflix e não irrite os demais, simples assim.

Como diz minha mãe "Viviane gosta da festa". Sim, sou dessas. Não saio beijando Deus e todo mundo, e não uso o Carnaval como desculpa para nada. O que tenho que fazer, faço em outros dias, sem o menor problema.
Eu gosto das cores, da festa, das marchinhas, da purpurina, do glitter, do sol na cara, das pessoas cantando na rua, da criatividade das fantasias, do amor, da felicidade, da dança, da expressão de diversas culturas, enfim, eu gosto do Carnaval.

Mas como em tudo na vida existe o outro lado...

Em mais um ano, trabalhei num hostel. Então recebi gente do mundo inteiro. E, cada ano que passa, fica mais difícil explicar o Brasil e os brasileiros. Como quando o caboclo coloca num canal aberto e vê uma cu verde, e me pergunta:"Pode passar isso na TV aberta?" - Ou ainda quando um cara faz uma pegadinha de mijar na rua feito um cachorro: "Ele não vai ser preso por isso?" - Ou as plaquinhas espalhadas pelo RJ com o aviso de zona de assalto: "É sério isso, ou é piada de Carnaval?".
Os anos passam, e está mais difícil explicar um trem de assalto - o bonde da praia roubando utilizando isopor de cerveja para colocar bolsas roubadas - não deixar o vidro do táxi/uber aberto com o celular na mão porque eles entram pela janela e roubam (quase aconteceu comigo) - sobre ter cuidado ao tirar fotos - sobre o celular no bolso que em 100% das vezes somem nos blocos. Enfim, vai ficando mais difícil.

E mesmo assim, você ama esta data horrorosa?

Sim. E muito! Porque se for racionalizar tudo que acontece, você não vive, não aproveita, não se diverte. Carnaval serve para desligar a mente dos problemas por um momento.
E não é que tudo acaba em samba. Pra mim, mesmo não sendo a maior fã de samba, ainda bem que temos o samba.









Nenhum comentário: