domingo, 26 de abril de 2015

Rita, Camilo, Vilela? Não, Viviane mesmo.

Ontem fui à uma festa de tradição cigana. Muita cor, muitas jóias, mulheres pintadas, homens também. Toda uma cultura cigana para explorar, e eu só queria que alguém lesse minha mão.

Ando num anseio pelo futuro que não sei explicar. Quero saber tudo. Quero pautar minhas escolhas por oráculos, borras de café ou qualquer coisa que me diga o quê devo fazer.
Um medo de errar. Como se não houvesse mais tempo para errar. Como se eu já tivesse errado demais. 33 anos de muitos erros.

Por outro lado, no meio desses pensamentos de escolhas, erros e acertos, me questionei sobre o que é acertar?

Quando eu me apaixonei pela primeira vez na vida adulta, eu xinguei o mundo e disse que aquilo era um erro, que eu era uma idiota e toda aquela lenga lenga. Hoje, dando uma espiadinha lá atrás, acho "ducaraleo".Ouvi música cafona, escrevi belas cartas, fiz ótimas reflexões, fiz insanidades que hoje me fazem contar histórias ótimas, fui brega, fui piegas, dramática e tudo que uma boa paixão faz com a gente.
Quando acabou eu chorei, chorei dias, noites, dias e noites, e depois de uma vale de lágrimas, uma pombinha trouxe no bico uma folha de oliveira dizendo que o terreno estava seco, e eu deveria continuar. E foi o que eu fiz.

Posso considerar isso um erro? Não! Meu Deus, não!

E ontem, sentadinha numa tenda, com a mão à disposição da cigana, lembrei de Machado de Assis. difícil não sentir-se um pouco Rita. Só que a minha cartomante disse: "Este romance acabou".

A gente acredita naquilo que a gente quer acreditar. E se a cartomante não diz aquilo que a gente quer ouvir, ela é ruim.
Ela disse para eu desistir. Que a história era um erro.
Ah, foi aí que lembrei de todos os meus deliciosos erros...Erros que me fizeram bem feliz, que me deram boas histórias, erros que me fizeram ser quem sou hoje,

Então, peguei minha mão, guardei no bolso, paguei a consulta, e resolvi que vou continuar insistindo no meu erro enquanto eu achar que devo.
Pode ser que eu sofra? Ah, faz parte.
Pode ser que dê certo? Nossa, será surpreendente.
Mas não vou recolher o meu time só porque alguém disse que isso era o correto.

Lição do dia: Chega de tentar prever o futuro.

Nenhum comentário: