quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

A lendária tia Nalva

Tia é um ser humano que vai te criticar em tudo que você faz, e mesmo assim, você vai gostar desta pessoa. Seja por solidariedade, por obrigação, ou por amor ao próximo. Não dá para explicar, mas este ser habitará muito tempo a sua jornada. Ah, e sempre tem a favorita. A minha é a tia Nalva. Ela é legal? Não. Ela dá conselhos bons? Não. Ela é rica? Não. Caralho, então por quê gosto da tia Nalva?

Tia Nalva é um ser mítico nascido na cidade de Cícero Dantas - BA (jogue no google) é do tamanho de um campo de futebol. Durante anos de sua vida foi solteirona. Odeio o termo "solteirona", mas era assim que se referiam à tia Nalva. E por ser solteirona durante mais de 70% da vida, não tem filhos. Casou nos 45 do segundo tempo, já com o time desacreditado de virar este jogo. Taí, é por isso que gosto da tia Nalva. Pra mim ela é o símbolo da esperança. A pompinha da paz das solteiras desoladas. Mas a cereja do bolo é que tia Nalva é evangélica. Então, se não casei ainda, a culpa é de satanás. Este ser tinhoso que jogou a sina da solteirice sobre minha família. Sim, porque tenho milhões de primas solteiras. E todas tem como ídolo, a tia Nalva. Há até uma expressão familiar "Se a tia Nalva conseguiu, ainda há esperanças!".

Quando eu era criança, recebia um salário para ir dormir na casa dela. Ela tinha medo de dormir sozinha, mal este que não sofro, gracas à Deus (Oh, glória). Ela dizia que por ter a saúde frágil era importante ter alguém dormindo com ela. E este alguém fui eu. E se solteirice pega, fui contaminada logo nos primórdios de minha vida, com este contato direto com tia Nalva.

Um dia desses em que estava "vigiando" o sono dela, ela teve um pico de pressão alta. Disse que tentou me chamar, como eu estava praticamente falecida, chamou o SAMU. Enfim, o SAMU fez o resgate, enfiou na ambulância e a porra toda. E eu? Este ser que ganhava um salário milionário, para uma criança, em quê ajudei? Em nada, claro. Descobri que ela não estava em casa pela manhã. Ou seja, o dinheiro mais mal gasto de todos os tempos.

E mesmo eu sendo esta funcionária que deveria ser desligada da função e tia Nalva sendo uma pessoa de Jesus, foi ela que me deu meu primeiro LP (Mulheres de Areia Internacional). Tia Nalva me deu minha primeira bicicleta (Ceci - vermelha, e com cestinha). Tia Nalva dizia que era minha mãe, mesmo a gente não tendo nada a ver. Me fazia chamá-la de mãe, mesmo sabendo que era pecado mentir. Me deu meu primeiro sutiã, um gigante que só comecei a usar recentemente, pois era bege e com reforço.

Passei boa parte da minha infância com ela. Minhas férias eram na casa dela. E perguntavam "Você gosta de ficar na casa da sua tia? Ela não tem criança!". Eu? Eu adorava! A tia Nalva nunca precisou de criança, ela era uma.
Me deixava gravar músicas "mundanas" no rádio dela. Me dava livros legais, deixava eu pintar as cartolinas que ela usava para evangelizar crianças, me ensinou que satanás é foda, deixava eu usar o telefone da casa dela para falar com as minhas amigas, o que na época era praticamente o preço de um rim a cada ligação. Tia Nalva era e é o máximo. Personagem marcante de uma infância super feliz.

Hoje ela me inferniza em almoços familiares com as fatídicas frases: "Vou morrer sem ver uma sobrinha casar!" "Vivi, e este ano, tem namorado?" "Mas não está saindo com ninguém?".

Perguntas essas que sempre respondi com muita classe e educação. Até este ano.

"Tia Nalva, eu não sou casada, não namoro,não estou saindo com alguém fixo, mas trepo!".

Fui repreendida em nome de Jesus.

Nenhum comentário: