domingo, 23 de outubro de 2011

Psicótica, sim eu sou!

Psicose é um estado psíquico no qual se verifica certa "perda de contato com a realidade". Nos períodos de crises mais intensas podem ocorrer (variando de caso a caso) alucinações ou delírios, desorganização psíquica que inclua pensamento desorganizado e/ou paranóide, acentuada inquietude psicomotora, sensações de angústia intensa e opressão, e insônia severa.
Surgem também, nos momentos de crise, dificuldades de interacção social e em cumprir normalmente as actividades de vida diária.

E é na questão de "dificuldade de interacção" que gostaria de me ater neste momento. Não consigo mais. Em alguns momentos posso até me tornar agressiva. Principalmente nas "baladas". Primeiro, não tenho mais idade, e muito menos saco, pra baladas. Acho um pé no saco. Mas graças à frase: "Ele não vai bater na sua porta", ainda me sujeito a isso. Mesmo que ele não bata à porta, aliás, quero muito que o tal ele se foda muito, não saio mais. Não gosto, e não vou mais me forçar a isso. Agora não sei se isso é fruto da minha psicose, ou se eu realmente cheguei a um estado hermitão avançado que não me permite mais o convívio social.

Tudo que envolve o "sair no final de semana" me irrita profundamente.
- Escolher uma roupa que me deixe mais magra, normalmente um pretinho básico.
- Mais de uma hora tentando fazer meu cabelo ficar bom.
- Quilos de maquiagem pra esconder imperfeições.
- Trânsito maldito e flanelinhas saqueadores.
- Fila pra entrar, fila pra beber, fila pra sair, fila pra pegar o carro no estacionamento, caso consiga achar um vazio.
- As mulheres parecem estar na vitrina (prefiro escrever vitrine), e os caras passam e escolhem a roupa que mais chamará a atenção dos outros caras. Desfilam com ela a noite toda, e devolve para as amigas.
- Dormir maqueada e acordar feito um panda.
- Acordar de ressaca como se mil elefantes tivessem passado por cima da minha cabeça, e como se fosse um milagre, eu sobrevivi.

Chega, não quero mais. Estou jogando a tolha. Sim, meus amigos, depois de muitos anos na calçada, estou tirando meus saltos altos, comprando pantufas, um bom pijama, acompanhado de um ótimo vinho, boa música audível - coisa rara na noite hoje - e aceitando que não quero mais!

Sim, a fase adulta chegou. Não sei se comemoro, mas pelo menos aceito.
Dignidade, é isso que quero pra mim. Se sou psicótica? Acho que sim! Se convivo bem com a minha psicose, totalmente. Demorei para aceitá-la, mas depois de ontem a noite, ela sempre é bem-vinda.

Olá, pantufas! Olá, Sinatra! Olá, baile da saudade! Aqui vou eu!

Nenhum comentário: