domingo, 24 de abril de 2011

Mata a alma e envenena, ou não.

Ah, seu Madruga, como eu gosto desta frase. Eu a uso com frequência. Mas ontem não deu. E eu pensei: "A vingança é um prato que se come frio". Uma bobagem completa. Não roubei o rim de ninguém para vender no mercado negro, mas acho que seria uma ideia interessante, apenas uma ideia.

O ser humano, sem exceção, tem uma veia vingativa. Comigo não seria diferente, não sou a Madre Tereza.

Eu jamais faria algo para prejudicar alguém, não faz parte da minha índole. Mas fazer uma malvadeza, às vezes, faz bem pro coração. Mais uma vez...Desculpe, Seu Madruga.

Eu estava me achando a cereja do bolo com a minha blusa nova. Estava. Até um imbecil derrubar um copo cheio de cerveja nela. Um sorriso amarelo estampou a minha cara. O pior não foi ele ter derrubado em mim, foi ele ter pedido desculpas para pessoa errada, o cara com quem eu estava conversando. Vamos lá, a cerveja estava na minha blusa nova, não no cara. Acho que ele estava tão bêbado, que não percebeu.

Fui ao banheiro, limpei a sujeira. Quando voltei o cara do flerte tinha sumido. Ou seja, molhou minha blusa, deixou um fudum de cerveja insuportável, e ainda fodeu com meu flerte da noite. Aquilo não sairia barato.

O flerte voltou. A conversa estava agradável, mas naquele exato momento o imbecil da cerveja passava entre nós. Não pensei duas vezes, joguei meu copo de cerveja nele. Fiz a carinha "ops" e dei o meu melhor sorriso. Ele olhou pro cara que estava comigo e disse:

- Ela fez de propósito. Você viu? Ela ficou puta comigo e se vingou.

O cara do flerte, um lord, disse:

- Imagina, ela não faria isso. Veja, foi sem querer. Viviane, foi sem querer, não?

Pausa dramática. Eu iria foder meu flerte por ser uma pessoa vingativa. Mas que graça teria se não fosse de propósito? Preferi o silêncio e expressões sem leitura.
O cara da cerveja foi se limpar puto da vida.

Ele olhou pra mim e perguntou:

- Foi de propósito?

Com a cara mais deslavada do mundo disse:

- Sim. Lei de Talião. Olho por olho, dente por dente.

Ele riu e disse:

- Se você pegasse seu namorado traindo você, tenho medo do que faria.

Seu Madruga, eu não cortaria o pênis dele, mesmo tendo vontade. Fique tranquilo. O Chaves me ensinou muito. "A vingança nunca é plena, mata a alma e envenena". Mas antes de matar a alma dá um prazer...

3 comentários:

Monstrinha disse...

Huahuauaua! Seu madruga era mesmo um filosofo!
Muito engraçada essa sua historia da blusa e melhor ainda porque vc não disse que tinha sido sem querer!
Adorei!!!

Let´s disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Let´s disse...

Já escrevi sobre vingança n vezes lá no blog. Adoro o tema. Por acaso, voltei a ele hoje ontem. Eu também tenho um lado meio Tieta do Agreste.