domingo, 25 de maio de 2014

Sábado

Ah, o sábado. Com ele toda a esperança do mundo renasce. Sábado, caralho! Grita o inconsciente!
Chega do chefe mala, da par de mesa insuportável que só quer te foder. Chega da lenga-lenga dos KPI´s e da casa do cacete. Chega do escritório de janelas fechadas e barulho de digitação. Vida. A vida acontece no sábado.

E você? Você está linda. Está princesa. Está gatinha. Gatinha, não. Você está delícia mesmo. Gastou dinheiro com cabelos, unhas, depilação roupas de couro (está frio). A última olhada no espelho para conferir a maquiagem. Mundo, aqui vai uma deusa que nasceu para brilhar.

22h00 - Você chega na balada. Direção - banheiro. Mais uma checada no visual incrível.

22h30 - Bar com a amiga. Pegar uma bebida, claro.

23h30 - Número de bebidas (3). Já começa a mexer os pés.

23h40 - Vai ao fumódromo. Parou de fumar. Mas em nome da boa e velha azaração que acontece no fumódromo, quando as pessoas conversam sem o barulho da balada, vai fumar.

24h00 - Bêbada. Já dança YMCA com coreografia, e não se importa em descer até o chão.

24h40 - Um mais bêbado que você se aproxima e joga uma cantada baratérrima. Daquelas "Se machucou quando caiu do céu?". E mesmo após o fora, ele continua dançando bizarramente ao seu lado.

01h00 - Muda de lugar por causa do bêbado.

01h15 - Dá voltas pela balada em busca de algo que preste e não esteja se enroscando com outra.

02h30 - Já conhece todos os rostos da balada. E nada aconteceu.

02h40 - Volta ao fumódromo. Ninguém mais fuma porque estão todos se pegando em algum lugar.

03h00 - Perde a amiga porque ela está se pegando com alguém

03h15 - Seu pé está doendo. E não tem nenhuma cadeira para sentar.

03h30-  A amiga aparece dizendo que a balada está incrível. Você sorri de volta concordando com a cabeça mesmo achando uma merda.

03h50 - Desiste da cerveja e passa para a vodka.

04h00 - Está bêbada, borrada, não pegou ninguém. E estão tocando aquelas músicas de casal final de noite.

04h10  - Finalmente achou um lugar para sentar. Seu pé está latejando de dor. Perdeu a amiga. E as músicas "romance balada" tocam uma atrás da outra.

04h40 - Encontra sua amiga se despedindo do cara. Hora de ir embora.

04h50 - A mulher do caixa anuncia R$ 116,00

05h00 - Promete a si mesma que nunca mais vai sair.

MEIO DIA - Acorda parecendo um urso panda, com a cabeça doendo, e se perguntando onde está. Mais promessas de não sair nunca mais.

...Até o sábado seguinte.

Nenhum comentário: