quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Torpedos e mulheres

Acredito que torpedo seja coisa de mulher.
Mulher adora mandar torpedo. Torpedo não é uma forma de comunicação confiável. Mas mesmo assim, insitem.

A cadeia de acontecimentos é mais ou menos assim:

- Ela manda o torpedo porque não tem coragem de ligar, e acha que vai incomodar a pessoa.

- Junta toda a mulherada em volta do celular.

- Ela começa a escrever, e apaga, umas duzentas vezes.

- Quando finalmente o best seller está escrito, passa pela aprovação de todas.

- Sempre tem uma espírito de porco que diz que não mandaria aquele torpedo.

- Mais uma hora de discussão.

- Aí chega o momento que ela toca o foda-se, e manda o tal torpedo. Torpedo este que consta uma mensagem subliminar que só a pessoa em questão entenda. Afinal, vai que justamente naquele final de semana ele conhece a mulher da vida dele. Não será ela a estragar isso.

- Mensagem enviada com sucesso.

- Então começa o inferno. De cinco em cinco minutos ela vai olhar no celular.

- Começa uma discussão na mesa sobre a não resposta. Várias hipóteses. Inclusive a fatídica - ele não recebeu o torpedo. Há as mais pessimistas que dizem que a pessoa em questão não tem crédito no celular.

- Se a resposta não vem, ela desliga o celular para acabar com a angústia.

- Se vem, começa tudo de novo.

Se sofrem tanto, não entendo porque ainda insistem no torpedo.

Um comentário:

Vanessa Dantas disse...

Discordo. Torpedo não é coisa de mulher. Meu ex mandava muitos por dia e acabei entrando na dele, ou seja, criei um hábito estimulado pelo lado de lá.

Mas essa cena descrita por você é bem engraçada e real.