segunda-feira, 23 de junho de 2008

Rimar

Os detalhes da mão.
O jeito de olhar.
O sorriso maroto.
O seu caminhar.
Até o seu "não",
me faz sonhar.
E como criança,
tento rimar.
Porque amar, é voltar no tempo.
Amar é não ter medo de se expôr.
Amar é tentar rimar só para te agradar.

12 comentários:

eder disse...

Essa poesia não tem rima, mas rimou tanto! Me fez tanto sentido!
Bjos.

Michele Matos disse...

ótimo seu blog!
e um dos melhores slogans que já vi na blogosfera...
=)

Fernando Amaral disse...

Agrada, sempre.

Vanessa disse...

Fiz rimas para o meu amor.
Mas acho que ele não gostou.
Não agradou.
Deletou e não publicou.

Vai ver que eu não sei rimar.
Ou é o medo dele de se entregar?
Mas eu não vou me enganar.
Afinal, foi ele quem me ensinou
o que é amar...

Isabella disse...

Certa vez você comentou no meu blog sobre aquela belíssima crônica "De Gonzaga para Marília". Nem sei se eu retribui.
Hoje estou saudosista, nostalgica para os que preferem. Relendo meu blog, achei o seu.

Adorei o novo. Seu layout é lindo. A fonte mais ainda. Gostei dos textos. Parabéns.

Um beijo

Rodrigo Borges disse...

Cri... cri... Acabou o blog, é?

F. disse...

rodrigo,o amor tem esse efeito. conheço outra blogueira que parou há meses, quando começou a namorar, e nunca mais voltou.

Marcos Bonilha disse...

É, o povo começa a namorar e esquece tudo: amigos, família, animais de estimação e... blogs!

Rodrigo Borges disse...

Incrível. Somos trocados por algumas sessões de cinema, uns bons beijos, sexo e... bem, pensando por este lado, até que faz sentido.

Vivi disse...

Meus queridos,

Não ganhei na Mega.
Não virei celebridade.
Não estou namorando!
O fato é que tenho trabalhado pra c#@$%. Qunado chego em casa, só penso em dormir.

Mas eu voltarei.

F. disse...

Gente, pelo visto ela prefere a companhia daquela bruxa do post "Eu quero é mais" à nossa... (rs)

Marcos Bonilha disse...

Poxa, então é pior...

Pensei que havíamos sido trocados por tudo aquilo que o velho Borges falou, mas pelo jeito...

A moça do 'Vivi' ganhou de todos nós, como disse o F.