terça-feira, 17 de junho de 2008

Eu quero é mais...

Um dia você começa a trabalhar numa empresa grande, milhares de funcionários. E apesar de te encherem o saco, você é apenas mais um entre os milhares.

E é neste momento que eu penso. Se eu sou só mais uma, qual a razão das pessoas quererem tanto puxarem o meu tapete?

Eu tinha uma visão muito rosa bebê do mundo. Acho que os anos na Ilha da Fantasia (meu antigo emprego) me fizeram mal. Descobri que não sei me defender.
Eu sempre achei que pessoas más eram apenas personagens de filmes. Doce engano.
Existe gente que quer te ver pelas costas, que faz de tudo para te ferrar, e o pior, finge que te adora. Sorri para você todos os dias, lhe deseja um ótimo dia, e na sua frente, com um sorriso bem amarelo, te fode. Isso quando não te apunhalam pelas costas.

E depois dessas experiências, comecei a odiar pessoas que vivem sorrindo para todos. Sabe algo meio comissária de bordo
? O avião vai cair, todo mundo vai morrer, e a mulher continua esboçando o melhor sorriso.
Eu apelidei este "delicioso" personagem de "Comissária Naja".

E eu tenho uma Comissária Naja bem ao meu lado.
A filha da puta me chama de Vivi, quero morrer com isso. E todo dia ela me deseja um excelente dia.
Semana passada eu atrasei alguns relatórios. Estava meio perdida e acabei esquecendo de mandar o relatório para a comissária. Ela sorriu e me cobrou:

- Vivi, faltou o seu relatório para eu fechar o consolidado.
- Putz, me esqueci. Já te mando.

E assim fiz. Em cinco minutos mandei para o e-mail dela.

Três minutos depois chega um e-mail com cópia para todos os meus "parceiros" de trabalho, inclusive meu chefe.

"Queridos, segue o consolidado. Desculpem a demora, é que tive que cobrar a Vivi".

A filha da puta manda um e-mail desse, e ainda tem a coragem de me chamar de Vivi.
Internamente soltei duzentos palavrões. Olhei para o lado e sorri para a comissária. E o sorriso dizia: Morra de sífilis ou lepra, você pode escolher.

Meu chefe não perde a oportunidade, e delicadamente responde o e-mail.

"Porra, vocês não fazem nada se eu não cobrar
?"
Nem respondi o e-mail.

Sabe, estou contaminada. Tento ser uma pessoa melhor e não sentir ódio mortal das pessoas, mas tem horas que é difícil.

Comprei o iogurte que ela gosta. Ardilosamente inseri laxante. Por duas vezes pensei em dar para ela a dose cavalar de remédio. Mas não dei. Enxerguei a luz. Não posso agir com as pessoas da mesma forma que elas agem comigo. Se todo mundo resolve ser vingativo, não sobra um naquela empresa.

Quando eu estiver lá no céu, e lá de cima eu vê-la no inferno, internamente vou sentir uma satisfação absurda. Mas não moverei uma palha para me vingar.

7 comentários:

alan disse...

Já passei por isso e hoje em dia, anos depois,eu sinto orgulho de ter não mandado o fdp se f... Pessoas más se destroem sozinha... rs

Chris disse...

Amor da minha vida.

Olho grande é pior do que macumba, mas não se preocupe, devido a sua atitude estará imunizada desse mal.
E toda vez tiver vondade de se vingar, lembre: "Desejar mal a alguém, é como beber veneno esperando que esse alguém morra"

Bjs

Chris

Fernando Amaral disse...

O problema é o fígado...

eder disse...

Fez o mais certo. Mas acho até, que Deus entenderia sua atitude...
No mais, um colarzinho de alho ajuda...ou uma espada de são jorge...
Bjos.

Finito Carneiro disse...

Como disse aquele chinês lá, o Confúcio: "Não faça aos demais o que não desejas que os demais façam a ti".

É uma frase bem foda, eu confesso... Segui-la à risca é praticamente impossível, mas vale tentar.

Hugo Becker disse...

Eu achei que só eu passasse por situações assim, e pior, que me sentisse destruído e motivado à destruição assim.

Se você via o mundo "rosa-bebê", eu sempre vi o outro lado, sempre vi o mundo meio vermelho-inferno. E sou vingativo por natureza. Mas como normalmente a corda estoura do lado mais fraco...

Acho que vc fez realmente bem em não fazer nada. Sua consciência tranqüila não tem mesmo preço.

Mas um banho de sal grosso não faz mal a ninguém! hahhah

bjo Vivi

http://hugobecker.blogspot.com

Isabella disse...

Bondades deixadas de lado, tenho que dizer que seria muito engraçado ver a querida correndo ao banheiro de cinco em cinco minutos...

Odeio que me chamem de Isa...