terça-feira, 3 de junho de 2008

E-mail. Só mande se for necessário.

Eu não sei vocês, mas houve uma época em minha vida em que eu adorava receber e-mail.
Isso foi logo quando começou este lance de internet. Ficava chateada quando todo mundo recebia e-mail, e eu não.

De uns tempos pra cá tenho ódio mortal a este tipo de correspondência. Infelizmente é um mal necessário. Mas isso não vai fazer com que eu goste mais deste meio de comunicação moderno.

Odeio quando me perguntam: Nossa, mas você não viu seu e-mail
?

Ao chegar ao trabalho é a primeira coisa que eu faço, ler os tais e-mails. Hoje eu cronometei. Gasto cinquenta minutos do meu tempo lendo e respondendo e-mail.

Recentemente adotei uma regra contra o duplo manuseio. Ler e responder. Nunca deixar para depois, porque o depois nunca chega.
Mas confesso que está extremamente difícil seguir a minha própria regra.
Eu leio aproximadamente cinquenta e-mails por dia. Com esta meta eu poderia ler um livro a cada dois dias. Absurdo!

E mesmo com esta realidade, tem gente que perde seu valioso tempo mandando corrente. Não consigo entender.
O que leva uma pessoa ler um e-mail gigante dizendo que se ela não mandar aquela merda o pinto dela vai cair
?

E além de ler, o infeliz faz questão de mandar para as trezes pessoas que a corrente manda.

E o mais interessante. Se são só treze pessoas, eu só queria saber os reais motivos para as pessoas SEMPRE me incluírem nas correntes.

E se todos os males prometidos nas correntes acontecerem de verdade, não passarei dos 30.

6 comentários:

Finito Carneiro disse...

Olha, Vivi. eu prefiro acreditar, viu!
Uma vez, lá em Pato Branco, um cara não enviou a corrente e o pinto dele caiu...

F. disse...

Vivi, eu entendo você perfeitamente. Quando trabalhava aí no Brasil, minha caixa de e-mail era um pequeno inferno, nem Dante seria capaz de imaginar algo igual. Mas, curiosamente, agora que estou por minha conta como free lancer na África, que tenho todo o tempo do mundo para trocar e-mails, recebo apenas uns poucos dos amigos mais queridos contando histórias que me interessam. Dá pra acreditar? É a Lei de Murphy aplicada ao cyberspace.

eder disse...

Sabe, às vezes eu até esqueço que tenho e-mail. Quando vejo apago sem ler mesmo, filtro pelo assunto. Quanto ao pinto cair, nesse caso é melhor acreditar...

PS.: Vivi, como eu sei que você é geminiana (por mais que não goste ser), não sei exatamente o dia, mas sei que se já passou, faz pouco tempo, então:
PARABÉNS!!!

Finito Carneiro disse...

Cara ou caro F.,
como assim, free-lancer na África?

Vivi disse...

Eder, muito simpático de sua parte. Porém, ainda não comemorei as minhas primaveras. Será no dia 16 de junho.
F, estou morrendo de inveja!!!! Quero muito que isso aconteça comigo.
Finito, como não tenho pinto, estou isenta deste castigo! rs

Cândida disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.