terça-feira, 11 de março de 2008

A verdade é uma mentira

“César tinha suas legiões e Napoleão tinha o seu exército. Eu tenho minhas divisões: TV, jornais e revistas. E, à meia-noite de hoje, estarei influenciando o maior número de pessoas que alguém jamais conseguiu, a não ser Deus. E o máximo que ele fez, foi o Sermão da Montanha” – Elliot Carver – Megaempresário das telecomunicações, 007 – O Amanhã nunca morre.

Ultimamente tenho tido medo da mídia, que em muitos momentos impõe a sua verdade. Donos da verdade. Mas que tipo de verdade estamos falando?
Aquela verdade que nem eu, nem você, escolhemos. Mas nos é jogada todos os dias como sendo absoluta. Verdade não existe. O que existe é um ponto de vista.
Mas o massacre diário destes pontos de vista, se tornam verdades.

O poder está nas mãos da mídia. Lula faz muita besteira. E, como sempre dizem, a culpa é do povo. Sempre o povo. Mas o povo escolhe seus dirigentes através das notícias que recebem da mídia. Pensando desta forma, não seria culpa da mídia?

São eles que dizem como devemos nos vestir, falar, agir e pensar. São eles quem ditam o que é cool. Até usar cool, ao invés de um simples legal.

E por mais que não estejamos sendo vigiados 24 horas como os “heróis” de Pedro Bial, eles lêem nossos pensamentos. E conseguem ler, porque muitas vezes são eles quem nos ajudam a pensa-los.

Veja, a partir do momento em que coloquei a palavra heróis entre aspas, de forma irônica, ridicularizei o termo utilizado pelo apresentador. A mídia é como eu, você, todos nós. O tempo todo expressa sua opinião.

Quem nunca se pegou expondo uma opinião da Revista Veja, por exemplo?
Às vezes somos Silvios Santos. “Eu não vi, mas li na Veja que o filme é ruim”.

Então estamos sujeitos a viver numa ilha ilusória? Creio que não. Existe algo bem interessante chamado bom senso. E é com ele que devemos ler algumas matérias. Saber distinguir o que é jornalismo, de simples opinião. Um exercício bem difícil, mas prazeroso. Pensar sozinho dá trabalho, mas nos ajuda a sermos mais cidadãos, mais participantes. Afinal de contas, ninguém nasceu para ser papagaio de pirata.

4 comentários:

Rodrigo Borges disse...

Lula faz besteiras. Mas só faz besteiras? Não. E quem faz acreditar que ele só faz besteiras?

A mídia está aí para o bem e para o mal. Infelizmente, a maioria de nós, jornalistas, entramos para a grande roda da mídia cheios de boas intenções. Queremos mudar o mundo. Mas o mundo só é mudado por aqueles que estão no topo da cadeia alimentar. E mudam ao sabor de seus interesses.

E nós, Dom Quixote que somos, seguimos lutando com moinhos.

Fernando Amaral disse...

O Carver era marido da Louis Lane...

F. disse...

Como todo jornalistas, sou um cético por natureza. Mas não concordo muito com a idéia de que só muda o mundo quem está no topo da cadeia alimentar. Muda o mundo quem age mais, quem influencia para o bem, quem quer fazer diferença. Pode ser que mude só um pouquinho; pode ser que não. Talvez eu esteja só tentando explicar porque larguei o conforto da minha vida para viver em Luanda.

Marcos Bonilha disse...

"Para mudar o mundo, é preciso tentar mudar, primeiro, a rua onde mora."

Meu professor falava isso e, graças a Deus, encasquetei com essa frase na cabeça.

Infelizmente, quem está no topo, como citou o Rodrigo, geralmente nem jornalista é.
Mas como dono daquela mídia, acaba pautando os verdadeiros de acordo com os interesses vigentes. Não resta nada aos subordinados, a não ser acatar as ordens do patrão.

Afinal, eles têm contas a pagar.