quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

E se eu te contasse?

Se eu contasse o que se passava em minha cabeça, algo seria diferente?

Se eu dissesse que esperava ouvir seus passos na entrada para fingir que estava dormindo?

Se eu dissesse que cheirava suas roupas cada vez que você chegava tarde?

Se eu dissesse que não fui embora porque não suportaria lhe dizer "adeus"?

Se eu mostrasse todas as cartas que fiz de despedida?

Se eu conseguisse ler seus pensamentos. Talvez me decepcionaria?

Se eu dissesse que sofro?

Se eu chamasse seu nome no meio da madrugada. Você viria?

Se eu rasgasse minhas roupas, mudasse de nome, cortasse meu cabelo, se eu te entregasse a minha alma. Você me amaria?

Se eu contasse que não passo um minuto sem pensar em você. Isso faria alguma diferença?

Se eu pedisse para você segurar a minha mão? Você seguraria?

Se eu dissesse que tenho medo de ter esquecido como se ama. Você me ajudaria a relembrar?

Se meu amor, se...Se eu amasse por nós dois?

Se eu tivesse tanto amor quanto digo que tenho, não teria feito o que fiz.

Se eu tivesse este amor, não pediria para você ficar.

Se eu amasse, de verdade, aguentaria a minha solidão. Amaria alguém que realmente merece muito mais que você, eu.

2 comentários:

Fernando Amaral disse...

Agradeço a visita ao nosso diário. Escrevo no Bolonistas, que é um diário de 11 malucos por futebol, e tenho uma coluna lá: "Coluna do Amaral".

E sobre o teu texto de hoje: E se eu te contasse que depois de conhecer e ler o pretérito arrumei coragem e criei o meu "blog", que coloquei o nome de "Quodores"?

E, para variar o tema: Continue escrevendo, faz bem ler.

Vivi disse...

Fernando, fiquei muito feliz em saber que este singelo espaço lhe inspirou a fazer o seu blog. Aliás, o nome é ótimo! Parabéns!!!